sábado, 13 de junho de 2015

Apresento-vos o mais recente elemento da familia

A Miúda. A nossa louquinha, salva da rua já adulta.


13 comentários:

  1. Que bom! Menos uma gatinha a sofrer nas ruas!
    E já agora, como é que ela se deu com os teus meninos de 4 patas que já tinhas em casa? É que os gatos às vezes são um bocado territoriais.
    Beijocas!
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Paula. Na verdade, deu-se mal... Tem sido um processo lento e complicado. A Miúda está connosco há cerca de meio ano, e demorou esse tempo todo a deixar-me pegar nela ao colo. No início, oscilava entre a doçura e o medo/defesa. A primeira tentativa de a levar ao veterinário deixou-me com marcas até hoje... Isto de adotar animais adultos tem que ser feito com calma e paciência.
      Neste momento, ela continua separada dos outros dois, porque os ataca, bufa-lhes, etc., e ficam os 3 muito nervosos quando estão juntos. Eles, não respondem, fogem, escondem-se, mas não ficam felizes. Só os deixo juntos por algumas horas de manhã, quando estou a trabalhar em casa. Nunca sem vigilância. Eles dormem na sala e na marquise. Ela no quarto de visitas.
      É um «work in progress», mas assim como connosco ela está muito melhor e tem muito menos medo, tenho esperança que a relação com os outros dois gatos vá melhorando também.
      Um beijinho.

      Eliminar
    2. Vale sempre a pena ter paciência com essas fofuras. Beijinhos e espero que eles se tornem amigos depressa! :)

      Eliminar
    3. Obrigada Paula. Nós vamos tentando, com calma, ir melhorando as coisas! Um beijinho

      Eliminar
  2. ahh já me esquecia gostei do termo "gato comunitário" nunca estive num trabalho que tivessem animais no mesmo espaço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Hehe. O «gato comunitário» do meu trabalho é de todos, embora não seja de ninguém em particular. Não o deixam dormir no edifício, mas fica no jardim onde lhe arranjámos uma casota. De dia, passeia livremente no interior e passa grande parte do dia deitado na secretária de uma das funcionárias. É um prazer ter a companhia de um animal no local de trabalho :)
      Estive quase para o adotar (antes de ter a Miúda), mas ele não quis vir, e eu acabei por aceitar e deixá-lo continuar «comunitário»!

      Eliminar

Os comentários ajudam a alimentar este blogue. Obrigada por partilhar as suas opiniões.