sábado, 28 de setembro de 2013

Então e a Yammi?

Pois.
Comprei uma yammi. A última disponível no Continente a que costumo ir. Cheguei a casa cheia de vontade de a exprerimentar, e com ingredientes para um bacahau com broa e uma bolonheza no carrinho.
Chego a casa, abro a caixa e fico desconfiada. Então não é que a esferovite já estava meia partida em alguns lugares, e o cartão meio rasgado? Fiquei convencida de que a máquina teria sido devolvida por alguém.
Começo a tirá-la da caixa e... não enconto o copo medidor, que serve também como tampa.
Desiludida, volto à loja. (ou seja, sobe escadas com caixote, desce escadas com caixote...)
Afinal, a tampa estava lá, encaixada na esferovite e por isso não a encontrava.
Volto para casa: volto a subir as escadas com o caixote.
Volto a colocar a máquina na bancada, e agora com a tampinha, preparo-me para a experimentar. Pela primeira vez, ligo-a à corrente.
E a máquina dá erro.
Vejo no livro de instruções: tampa mal fechada. Retirar o copo, voltar a colocar. Faço isso três vezes. À terceira peço ao marido que entretanto tinha chegado a casa. Nenhum de nós consegue que o aviso apague e que a máquina ligue.
Voltei ao continente, para devolver a máquina. Aceitaram-na sem problemas.
O problema... é que era a última. Tive mesmo que devolver e não trocar. Cheguei a casa cheia de fome e sem robot.
Volta a haver yammis a 6 de setembro. Entretanto também perguntei no Pingo Doce e só me souberam dizer que o robot deles chega durante a primeira quinzena de Outubro. É esperar, e já agora, comparar.

1 comentário:

  1. Obrigado pela dica. Já não precisei de subir e descer escadas...hi

    ResponderEliminar

Os comentários ajudam a alimentar este blogue. Obrigada por partilhar as suas opiniões.